SAGRADA ESCRITURA

 

 Conhecer a Bíblia 

 

 

Aula 1
A Revelação divina

        

 

Aulas previstas:

1.    A Revelação divina                                                

2.    Os livros da Bíblia        

3.    A integridade da Bíblia

4.    Livros inspirados e verdade da Bíblia

5.    O cânone das Escrituras

  6.    6.     Santidade e unidade de ambos os Testamentos

7.    A interpretação da Bíblia

8.    As ideias mestras da Antiga Aliança

9.    A Nova Aliança de Cristo

10. A Escritura na vida da Igreja

 

Palavras e fatos bíblicos                       

 

 

A Bíbia é o livro que contém a Palavra de Deus expressa em palavras humanas. É uma grande obra literária; um livro único, inesgotável, onde se encontra tudo o que se refere a Deus e ao homem.

 

  • O termo  «bíblia procede do grego e significa etimologicamente «livros» ou «livrinhos». A Igreja usava este plural para designar a colecção completa das Escrituras Sagradas.

 

                            

 

 

  • Desde os começos do cristianismo, a Bíblia foi a base da vida espiritual, de pregação e ensinamentos da doutrina cristã.

 

 

A Bíblia: Antigo e Novo Testamento

 

 

A colecção dos 73 livros que formam a SAGRADA ESCRITURA tem duas partes bem diferenciadas, chamadas «Antigo Testamento» (AT) e «Novo Testamento» (NT), que correspondem aos escritos antes ou depois da vinda de Cristo. A palavra «testamento» equivale aqui praticamente a pacto ou aliança.

 

  • O AT é composto por 46 livros.
  • Chama-se NT ao conjunto dos restantes 27 livros, escritos de acordo com a «Nova Aliança» de Jesus Cristo, gravada não sobre tábuas de pedra, mas sobre corações de carne. Todos eles anunciam a «Boa Nova» proclamada por Jesus.
  • A divisão actual da Bíblia em capítulos e versículos remonta ao século XVI, por Roberto Stephan.
  • Foi,no entanto, Stephan Langton, à volta do ano 1214, quem primeiro introduziu a divisão dos capítulos nas cópias da versão latina da Vulgata.

 

 

 

 

A Bíblia: Antigo e Novo Testamento

 

  AT e NT são duas partes de uma mesma história da salvação, e embora nós,  

 os cristãos pertençamos já ao povo da «Nova Aliança», nem por isso 

 podemos ignorar o que diz respeito à «Antiga Aliança» que durante tantos   

 séculos preparará a humanidade para a chegada da «plenitude dos tempos».

 

  • A Sagrada Escritura viveu durante muito tempo

              na tradição oral.

  • Só depois se puseram por escrito as leis, as palavras dos Profetas, as sentenças dos Sábios, os cantos e os poemas dos Salmistas e as recordações históricas das intervenções salvíficas de Deus.

 

A Revelação divina

 

Um facto central e ao mesmo tempo um dos mistérios fundamentais da religião cristã é que se nos apresenta como tendo origem e fundamento numa Revelação histórica.

§Porque se revelou Deus? Porque quis e porque nos ama. Com que finalidade? Para se dar a conhecer de modo gratuito e nos convidar a uma íntima comunhão com Ele, através de uma relação de amizade.
§A revelação divina é, pois, um grande dom, imerecido e inesperado do amor de Deus, em forma de diálogo amoroso, «conversa» ou comunicação entre amigos.
§Em suma, «revelando-se a Si mesmo, Deus quer tornar os homens capazes de Lhe responderem, de O conhecerem e de O amarem, muito para além de tudo o que seriam capazes por si próprios».
 
 
 

Revelação por meio de palavras e de obras

 

A revelação divina é realmente Palavra de Deus, mas é também – e inseparavelmente – acontecimento, manifestação e desenvolvimento do plano de Deus ao longo da História.

§A salvação de Deus aparece em tudo o que faz ao intervir

      na história dos homens e não só na consciência dos cren-

      tes ao ter conhecimento dessa história.

§Mediante a Sagrada Escritura Deus dá a conhecer o sen-

      tido salvífico dos acontecimentos, e estes podem assim

      compreender-se como história da salvação.

§Para aprofundar neste mistério da palavra divina, é preciso

      ter em conta que «como, porém, na Sagrada Escritura Deus

      falou por meio de homens e à maneira humana, o intérprete da Sagrada Escritura para compreender o que Ele quis comunicar-nos, deve  investigar atentamente o que os hagiógrafos queriam realmente significar e o que aprouve a Deus manifestar com a palavra deles».

 

Revelação por meio de palavras e de obras

 

 

A revelação divina é realmente Palavra de Deus, mas é também – e §O encontro de Deus com o homem realiza-se por meio da história, quer dizer, por meio de factos, acontecimentos e acções que depois são explicados por meio de palavras.

§A palavra bíblica tem origem num passado real - e não só dum passado, mas ao mesmo tempo desde a eternidade

      de Deus -; mas passa pelo caminho do tempo, ao qual   correspondem passado, presente e futuro– acontecimento, manifestação e desenvolvimento do plano de Deus ao longo da História.

 

 

Etapas da revelação divina

 

 

Os elos ou etapas desta revelação divina são em síntese:

 

  1. o proto-evangelho ou primeiro anúncio da salvação,
  2. a aliança com Noé,
  3. a escolha de Abraão com a aliança e as promessas,
  4. o êxodo ou a saída do Egipto com Moisés e a aliança do Sinai,
  5. a promessa a David de um Messias descendente da sua linhagem.
  6. o Exílio ou cativeiro da Babilónia e o regresso à Terra Prometida no AT;
  7. a Encarnação do Redentor,
  8. a Igreja fundada por Cristo
  9. a Parusia ou segunda vinda do Senhor no NT.

 

 

 

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!